Se você é um empreendedor que trabalha sozinho e acha que precisa contratar funcionários, está errado. O que você precisa fazer é contratar e construir empreendedores internos, também conhecidos como intraempreendedores. A propósito, intraempreendedorismo é a versão em português da expressão ”intrapreneur”, que significa empreendedor interno, ou seja, empreendedorismo dentro dos limites de uma organização já estabelecida.

Um intraempreendedor é alguém que pensa como um empreendedor, mas é um colaborador dentro de uma organização. Eles recebem esse salário fixo, mas querem trazer ideias à tona e saber que podem impactar as decisões e a trajetória do negócio. Os intraempreendedores são colaboradores que impulsionam mudanças organizacionais e são motivados pela liberdade e possibilidade de impacto.

Importante ressaltar que um intraempreendedor é completamente diferente de um empregado. Eles têm uma mentalidade diferente e muitas vezes trazem resultados melhores do que os funcionários comuns. E, quando você está construindo sua equipe é fundamental contratar colabores que já tenham perfis de intraempreendedores. Mas, também é preciso investir na transformação daqueles colaboradores que não são intraempreendedores natos. Como bem observou Dale Carnegie “Os maiores êxitos profissionais devem-se à habilidade para dirigir as pessoas.” A seguir, algumas formas que poderão ajudá-lo a transformar seus colaboradores em empreendedores internos.

1- Instigue o estresse positivo

Tenha em mente que nem todo estresse é ruim. E que, inclusive, o estresse positivo pode liberar adrenalina e aumentar o fluxo sanguíneo, estimulando a ação dos indivíduos. Esse é o mesmo tipo de estresse que os atletas experimentam quando competem, o que os faz se sentirem capazes, animados e totalmente envolvidos.

Como gestor e líder, você pode ativar esse estresse positivo mantendo os funcionários em padrões mais elevados, pedindo mais e fornecendo o suporte para levá-los até lá.

Por exemplo, estabelecendo uma comunicação clara dos objetivos e desafios empresariais. Para isso é importante desmistificar a estratégia da empresa, tornando-a simples e descomplicada. Cada colaborador tem que ter a capacidade de entender a estratégia geral da empresa e saber conversar sobre o assunto em qualquer ambiente. E mostrando com clareza os obstáculos que a empresa têm que vencer para cumprir os seus objetivos. Os colaboradores têm que entender onde e como podem contribuir para essa superação.

Enquanto o estresse não se tornar altamente oneroso, além das capacidades ou negativo, a maioria atenderá às expectativas com maior eficiência e um sentido renovado de propósito.

2- Use enquadramento positivo

A percepção é realidade, e cabe a você, em sua maior parte, como gerente, ajudar a moldar essa visão em uma perspectiva positiva. O simples ato de formular um desafio pode ser a diferença entre uma tarefa insuperável percebida e uma chance excitante de fazer algo novo. A chave para enquadrar um novo desafio em uma luz positiva é ser genuíno. As inverdades e a manipulação acabarão prejudicando a confiança que é quebrada.

3- Defina e acorde metas com a equipe

Os objetivos não devem ser arbitrários. Para alcançar os melhores resultados, eles devem ser claros e desafiadores, exigir um compromisso, ter um processo de feedback e envolver a complexidade da tarefa. Definir metas elevadas para os funcionários geralmente leva a um desempenho superior ao do incentivo verbal positivo. No entanto, com a frequência esperada de hoje de gratificação imediata, recompensas e afirmação, alguns de seus funcionários esqueceram (ou nunca aprenderam) o que significa alcançar um marco significativo. Ajude-os a sentir o sentimento de realização que vem ao estabelecer e atingir um objetivo significativo.

Por exemplo, a Delta Dental, maior sistema de planos odontológicos dos Estados Unidos, que implementou treinamentos que produziram a colaboração multifuncional que ajudaram a dissolver as divisões interdepartamentais e a melhorar as comunicações, ajudando a juntar as diferentes áreas da organização, resultando no ganho de eficiência por meio de fluxos de trabalho melhorados e a maior delegação de responsabilidades dos gerentes em relação às equipes.

4- Incentive a autoavaliação

Não é fácil reconhecer nossas próprias falhas. Quando um empregado tem pouco interesse no crescimento, muitas vezes é porque ele não percebe que precisa dele. A grande maioria dos funcionários tende a superestimar suas próprias habilidades, e são aqueles que são autocríticos e que, com frequência, são os mais competentes. Questionar constantemente as próprias habilidades é o que ajuda a procurar maneiras de melhorar e crescer. Adotar um sistema de feedback e análise permite que sua equipe veja seus próprios níveis de inteligência emocional e autoconsciência. Sem feedback, tendemos a criar nossas próprias realidades.

5- Forneça referências

Deixe claro que os colegas experientes podem funcionar como mentores e estão dispostos a oferecer sua sabedoria e experiência àqueles que desejam desenvolver uma nova habilidade ou assumir responsabilidades desconhecidas. A mentoria beneficia não apenas a protegida, mas também o mentor e a organização. Essas relações promovem a satisfação no trabalho, a lealdade da empresa e a socialização positiva.

Banner E-book Dale Carnegie - Liderar Uma Equipe de Vendas

6- Crie uma cultura de aprendizado

O fornecimento de amplos recursos para que os funcionários desenvolvam uma vasta gama de habilidades adicionais cria um avanço pessoal significativo. Aqueles que são mais empregáveis ​​e valiosos também são mais engajados. Ajudar os funcionários a adicionar marcadores aos seus currículos não apenas beneficia a organização, mas também ajuda os funcionários a evitar a estagnação que vem com a falta de progresso contínuo – e eles tendem a querer ficar por perto.

Esse é o caso da  Green Mountain  que incentiva cultura de aprendizado através dos treinamentos da Dale Carnegie, que é responsável por fornecer o pilar para uma estratégia educacional, imergindo os colaboradores da Green Mountain em um rigoroso currículo de treinamento. A autodescoberta é uma característica do treinamento, e desde a primeira sessão os participantes são desafiados a expandir as zonas de conforto, assumir riscos e aprofundar o entendimento de si próprios, seus pontos fortes e paixões

7- Incentive o desafio e o risco calculado

Todo desafio acarreta um risco de falha. Mas, ninguém quer enfrentar um novo desafio se houver uma ameaça implícita ou explícita de punição pelo fracasso. Em vez disso, incentive a cultura com a mensagem de que as falhas ousadas não são apenas aceitáveis, mas também desejáveis, porque ensinam lições importantes e estimulam a inovação. Acreditar em seu time e apoiar seu melhor trabalho não custa mais, mas a recompensa pode mudar tudo.

8- Incentive a reciclagem

Esta abordagem pode tornar os projetos de escritório mundanos interessantes; tome a iniciativa e ofereça programas internos de reciclagem no próprio escritório. Com isso, os projetos de trabalho convencionais poderiam potencialmente ser examinados a partir de um ângulo novo / não convencional, ao mesmo tempo em que são concluídos com eficiência.

Por exemplo, como fez a empresanorte americana, Fred Weber, que incentivou a reciclagem de seus colaboradores e o empreendedorismo interno através do Treinamento de Liderança para Gerentes da Dale Carnegie. O treinamento forneceu aos gerentes um processo estruturado para trabalhar com as pessoas e desenvolver um estilo de liderança pessoal. Em um ano, 76 funcionários assumiram posições gerenciais.

Da mesma forma, a Urban Engineers usou o programa de Treinamento de Liderança da Dale Carnegie como forma engajar profundamente seus colaboradores, incentivando-os a trabalhar juntos e aproveitar ao máximo todas as oportunidades. O treinamento foi apresentado primeiro à alta gerência da Urban e depois a toda a empresa.

Quando você oferece amplas oportunidades de reciclagem, seus funcionários adaptam naturalmente metodologias não convencionais de solução de problemas no trabalho, transformando empreendedores internamente e potencialmente ajudando a impulsionar seus negócios.

9- Ofereça liberdade criativa

Projetos de trabalho complicados exigem abordagens não convencionais a serem resolvidas, em vez de abordagens emocionais. Aqui, tente e conceda a melhor liberdade aos seus colegas de trabalho para flexionar seus músculos criativos. Não deve doer no caso de recorrer a uma abordagem de tentativa e erro, enquanto trabalha em projetos desafiadores. Nunca desencoraje a criatividade; independentemente de parecer subalterno e trivial. Essa técnica deve estimular o cérebro e, por sua vez, potencialmente atrair o empreendedor em seus funcionários na introdução de novas formas de resolver um desafio.

10- Mantenha sessões de brainstorming 

Aqui, você pode pedir aos membros de sua equipe que apresentem todo tipo de soluções e ideias; independentemente de serem rentáveis ​​para o seu negócio. Deixe sua equipe falar livremente e sem impedimentos; Através dessa abordagem, eles eventualmente aprenderiam a filtrar as coisas ruins e produzir mais dos bons aspectos que poderiam impactar positivamente seus negócios. Realize essas sessões pelo menos semanalmente e elimine todas as ideias negativas. Isso deve apresentar uma nova maneira de formular tarefas.

11- Mantenha tarefas crescentes em complexidade

Como disse Dale Carnegie: “Como? Quando? Onde? A resposta é: todas as vezes, em toda parte.” Agora, isso não significa que você bombardeie sua equipe com trabalho no meio da noite; faça com que eles concluam todas as tarefas essenciais dentro de suas horas mais produtivas do dia de trabalho. No outro momento disponível, aloque tarefas não temporárias e convide abordagens holísticas para resolvê-las. Dessa forma, seus funcionários poderão aprimorar suas habilidades de resolução de problemas (o que é uma característica empreendedora).

Em suma, com incentivo é possível transformar seus colaboradores em empreendedores. E se você deseja investir mais em você para se tornar um empreendedor de destaque, conte com a Dale Carnegie.

Banner E-book Dale Carnegie - Liderar Uma Equipe de Vendas