Os números do empreendedorismo no Brasil estão cada vez mais surpreendentes. Uma pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor, realizada com o apoio do Sebrae, mostrou que a Taxa de Empreendedorismo Total do país chegou a 38%. Isso significa que a cada 100 adultos entre 18 e 64 anos, 38 estão empreendendo. E, com um número tão expressivo, é natural que existam diferentes tipos de empreendedorismo.

A queda do crescimento econômico, junto à falta de oportunidades no mercado, também são responsáveis por este aumento. O chamado “empreendedorismo de sobrevivência” representa aqueles que, por precisarem de renda imediata, passam a trabalhar por conta própria, ainda que não tenham qualquer expectativa de crescimento.

Mesmo aqueles que pensam em crescer, expandir e prosperar são divididos entre alguns tipos de empreendedorismo. Neste artigo, vamos conversar melhor sobre alguns deles. Se você pensa em se tornar um empreendedor, é bom ler com atenção e identificar qual deles é mais compatível com a sua personalidade e visão de futuro.

Os 6 tipos de empreendedorismo mais comuns

Decidir empreender não significa apenas apostar todas as suas fichas no negócio próprio. Algumas vezes, os empreendedores são donos de empresas, mas aplicam atitudes empreendedoras no local em que trabalham. Independente do tipo de empreendedorismo, é preciso muita coragem para trilhar esse caminho.

Conheça os 6 tipos de empreendedorismo que elencamos para você.

1) Informal

Como citado acima, o trabalhador do tipo informal se enquadra no empreendedorismo de sobrevivência. Aqui, não há formalização quanto à condição de empreendedor e o foco está em gerar renda rapidamente. O empreendedor informal não pensa em expandir o negócio. Na verdade, ele tem poucos planos para o futuro, uma vez que o foco está todo no agora.

Embora iniciativas como o Microempreendedor Individual (MEI) tenham ajudado a diminuir o número de empreendedores enquadrados neste tipo, o número se mantém alto. De acordo com o Relatório Especial ― Estudo Sobre o Empreendedorismo Informal no Brasil, dos 28,4 milhões de Donos de Negócio que existiam em 2018, 71% disseram não possuir CNPJ., uma taxa significativa de informalidade.

2) Individual

O empreendedor individual deu um “passo a mais” nos tipos de empreendedorismo. É aquele que registrou seu negócio e vive na formalidade, estruturando, de fato, uma empresa. Mesmo assim, ainda está bastante ligado à necessidade de sobrevivência e, muitas vezes, trabalha sozinho, como no caso de freelancers. Outros, contam com a ajuda de um único funcionário.

De acordo com o Portal do Empreendedor, mais de 9 milhões de microempreendedores já formalizaram seus negócios no país. O avanço se deve a essa ser uma maneira barata de o empreendedor manter o negócio legalizado e ter direito a benefícios previdenciários.

3) Social

Já o empreendedorismo social se trata de empresas mais estruturadas e com uma equipe de colaboradores ― mesmo que pequena. As empresas sociais se diferem das convencionais por visarem lucro, mas não enriquecimento dos envolvidos. Elas têm como propósito resolver algum problema social e todo o lucro obtido é investido na própria empresa, como forma de conseguir expandir a atuação e o desenvolvimento de novos projetos de interesse social.

O empreendedorismo social parte de ideias inovadoras, que possam fazer a diferença na comunidade em que estão inseridas. Atualmente, mais de 800 empresas sociais já atuam no Brasil. Se você quiser se aprofundar no assunto, sugerimos a leitura do artigo O que é empreendedorismo social? onde você encontra as principais características e exemplos deste tipo de empreendedorismo.

4) Corporativo

Como falamos no começo do artigo, nem todo empreendedor está comandando o próprio negócio. Parece ilógico, uma vez que fere a premissa do que muitos entendem por empreender. Mas, isso se dá ao fato de o empreendedorismo ser muito mais uma forma de enxergar a vida. Empreendedores de sucesso têm características apreciadas também em grandes corporações.

O empreendedor corporativo tem o objetivo de crescer na empresa em que trabalha, visa promoções e é determinado a propor novos projetos inovadores à organização. Este, por sinal, é um dos perfis mais disputados por grandes empresas por ter características necessárias para quem ocupa cargos de liderança.

5) Franqueado

Muitos acreditam que este não se enquadra como um tipo de empreendedorismo, mas, se levarmos em conta o alto risco investido, não dá para negar que franqueados também são empreendedores.

O investimento inicial varia dependendo da franquia a ser adquirida e o ramo de atuação, mas é possível encontrar preços entre R$4.900,00 e até 97 mil reais entre as principais empresas do setor, de acordo com o Relatório Perfil das 50 maiores franquias do Brasil, desenvolvido pela Associação Brasileira de Franchising.

Neste tipo de empreendedorismo, visa-se uma renda mensal média e o retorno do investimento, que pode levar anos a depender do custo de aquisição da franquia. Portanto, não dá para negar que os franqueados estejam enquadrados como um tipo de empreendedorismo, uma vez que é preciso de habilidades empreendedoras para fazer com que o negócio sobreviva e chegue ao retorno esperado.

6) Negócio próprio

Este é o tipo mais comum de lembrarmos quando falamos em empreendedorismo: alguém que, de fato, montou uma empresa e pensa em vê-la crescer. Este tipo de empreendedor percebe uma habilidade ou oportunidade que pode destacá-lo no mercado e investe alto nessa ideia.

Ainda dentro deste tipo de empreendedores, podemos perceber que os do tipo negócio próprio se dividem em três subgrupos: os natos, que se destacam com trajetórias espetaculares; os normais, que buscam seguir os planejamentos e ter um escalonamento gradual, e o tipo serial, que investe simultaneamente em várias empresas pela paixão de empreender.

Para saber qual o seu tipo de empreendedorismo, um bom ponto de partida é saber qual o seu objetivo: você tem como meta expandir ou pensa apenas em conseguir viver trabalhando de forma autônoma? O que você espera da empresa? Qual a sua necessidade de retorno rápido? Todas essas questões podem ajudá-lo a definir entre quais os tipos de empreendedorismo você mais se encaixa.

Gostou do artigo? Ficou com alguma dúvida ou precisa de ajuda para definir qual dos tipos de empreendedorismo mais compatíveis com o seu perfil? Envie uma mensagem para a equipe Dale Carnegie e vamos debater melhor o seu futuro como empreendedor!