Às vezes você não tem escolha a não ser liderar pessoas que você nunca teria escolhido para sua equipe. Então, imagine que você é gerente, tentando liderar uma equipe cujos membros você não escolheu. Agora, imagine que alguns de seus funcionários são pessoas difíceis e que estão sempre na defensiva, reagindo mal à sua liderança.  Eles não colaboram, demonstram raiva e irritação o tempo todo, e muitas vezes se colocam como vítimas de diversas situações. De fato uma situação difícil. O que você faz nesse caso?

Idealmente, você encontraria formas de evitar contratar e trabalhar com pessoas difíceis — mas supondo que muitas vezes essa decisão está fora de suas mãos e que essas pessoas já estão na equipe antes da sua chegada, por exemplo, então o que você pode fazer sobre elas?

Como você pode construir respeito e liderar plenamente mesmo com as pessoas mais difíceis no trabalho? Bem, primeiro você precisará de muita calma e paciência. Segundo, existem algumas maneiras de lidar com essas pessoas, como um líder. A seguir, confira as principais ações eficazes.

1. Ofereça a oportunidade de uma conversa franca

Observe que uma conversa franca não é sinônimo de discussão. Aliás, lembre-se do que disse Dale Carnegie: “A única forma de vencer uma discussão é evitá-la.” Mas, claro, conversar civilizadamente é sempre importante. As pessoas não são difíceis por padrão – embora certamente possa parecer assim quando você as gerencia. Alguém, em algum momento (pode até ter sido você!) escolheu esses colaboradores em uma seleção de candidatos. Por quê? Porque eles demonstraram as habilidades e tipos de personalidade certos para a vaga. Eles provavelmente se encaixaram bem com a equipe no começo.

Mas se essas pessoas não possuem mais esses traços, os traços pelas quais foram contratadas, pare e pergunte a elas o porquê, o que houve desde a contratação. Alguma coisa mudou em suas responsabilidades e atribuições? Eles estão tendo dificuldade para equilibrar vida pessoal e profissional? Ou um novo colega de trabalho está irritando-os diariamente? Ter uma conversa aberta e honesta sobre onde estão as dificuldades pode ser complicado, mas é o primeiro passo necessário para entender pessoas difíceis.

2. Demonstre confiança

Para construir respeito na relação com alguém (mesmo com uma pessoa de personalidade difícil), como líder, você precisa primeiro criar confiança. Este passo é fundamental porque, se uma pessoa difícil não confia em você, ela o desafia em todos os níveis. Então, dê a elas o benefício da dúvida e mostre que confia nessa pessoa. Você pode ter a autoridade para gerenciar as ações de alguém, no entanto, não importa qual seja sua posição na organização, você não pode gerenciar atitudes, mas pode influenciá-las! Lembre-se que liderança tem como base a capacidade de influência. Aliás, se você ainda não teve a oportunidade de conhecer o trabalho de Dale Carnegie, inicie pelo livro clássico da influência e relacionamentos interpessoais “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas”, será uma leitura definitiva para seu background de liderança.

3. Concentre-se no positivo

Como você está trabalhando para construir confiança e respeito em sua jornada como líder, uma coisa que você não pode esquecer é fornecer feedback positivo na forma de apreciação. Olhe especificamente para as áreas em que o membro difícil da equipe está tentando melhorar e reconheça-o perante outros membros da equipe, isso pode influenciar sua postura positivamente. Afinal, quem é elogiado e reconhecido quer continuar recebendo elogios e reconhecimento.

E para um impulso extra de confiança (e respeito), pergunte a essa “pessoa difícil” qual é a melhor característica dela no trabalho e reconheça isso também, se for verdade. É fundamental mostrar a uma pessoa complicada e insegura, (muitas vezes insegurança gera posturas questionáveis, lembre-se dos adolescentes) que suas contribuições são realmente importantes para a equipe e para a corporação. Não há melhor maneira de criar respeito, admiração e colaboração genuína, do que mostrar a equipe que o líder e a empresa valorizam um funcionário.

Concentre-se no positivo, título deste tópico, tem a ver também com concentrar-se no que você pode ganhar com uma convivência saudável, isso aumentará sua energia e esforços para melhorar a relação com essa pessoa. Para minimizar  emoções negativas, tente encarar essa situação negativa, a que você será exposto, como um exercício avançado para aperfeiçoar seu autocontrole e sua inteligência emocional. É muito fácil ser gentil e educado com quem nós gostamos. Já o contrário…

4. Controle o ambiente

Nos casos mais graves, com pessoas realmente muito difíceis em que reconhecimento e positividade não produzem efeito, controlar o ambiente será um elemento crucial. Controle do ambiente significa garantir que os detalhes do dia a dia na equipe ocorram de acordo com seus termos, os temos da liderança, e não os termos da pessoa em questão.

Banner E-book Dale Carnegie

Por exemplo, você agendou uma conversa com essa pessoa. Demonstrar controle do ambiente tem a ver com: você escolher a hora de falar, não a pessoa; você define as atribuições, não a pessoa;  você define a agenda de pauta do que será discutido, não a pessoa difícil. Na verdade, se houver alguma ambiguidade em relação a quem iniciou a conversa – você pode considerar adiá-la e reagendá-la apenas para enviar os sinais corretos, os sinais de controle da situação.

Claro, você não quer ser rude. No entanto, se você já percebeu que lidar com determinado colaborador será uma tarefa árdua,  será importante demonstrar controle da situação.

5. Pode ser uma questão de compatibilidade…

Muitas vezes a pessoa difícil demonstra-se uma pessoa amigável com todas as outras ao redor, nesse caso, não sinta-se mal, a culpa não é sua. Muitas vezes, mesmo que a pessoa pareça se dar bem com todo mundo, ela pode ser difícil para você. Lembre-se: algumas pessoas simplesmente não se dão bem. Se for o caso dela fazer uma declaração como “Todas as outras pessoas gostam de mim”, estará tentando colocar a culpa em você. Mas, neste ponto, como vocês interagem com os outros é irrelevante. O que importa é como interagem entre si. Culpar não altera os fatos.

6. Lidando com pessoas que choram

No abstrato, parece que pode ser mais fácil lidar com alguém que você espera que se torne emocional e chore, ao invés de alguém cuja emoção irá se manifestar em raiva. Chorar envia um sinal mais indefeso e menos agressivo do que raiva. Além disso, somos humanos e temos simpatia por pessoas que estão sofrendo.

Mais uma vez, o objetivo é controlar a situação. Se você precisa conversar com esta pessoa sobre sua postura, entre as coisas que você pode fazer está garantir que você realize a reunião no final do dia, para que o funcionário possa sair depois e planejar uma segunda reunião, depois que a pessoa se acalmar.

7. Não enfrente problemas de raiva com mais raiva

A raiva pode ser legítima. No entanto, como líder, cabe a você evitá-la sempre que possível. Se você acabar em uma situação em que está retribuindo gritos, ofensas e trocando palavras duras, isso significa que você falhou em controlar a situação.

​​​​​​Bem, estas dicas representam algumas formas de liderar pessoas difíceis. Lembre-se que os verdadeiros líderes assumem o compromisso de avaliar seus estilos de gestão, compreender essas diferenças fundamentais e, em seguida, fazer um esforço conjunto para colocar essas boas características de liderança em ação.

Então, gostou do artigo? E que tal desenvolver suas habilidades de gestão e liderança? Afinal, o conhecimento estimula o desenvolvimento sempre. Conheça também o Treinamento de Liderança para Gestores da Dale Carnegieentre em contato conosco.

Banner E-book Dale Carnegie - Relações Interpessoais