Chefe ou líder, eis a questão? Os termos muitas vezes podem ser usados ​​de forma intercambiável, mas se você começar a analisar o que faz um chefe e um líder, começará a notar diferenças.

A verdade é que alguns chefes são simplesmente isso – chefes. Eles alcançaram uma posição na pirâmide corporativa. Eles tomam decisões que afetam a direção da empresa e geralmente controlam como o dinheiro é gasto. No entanto, nada disso faz de cada um deles um líder. A boa notícia é que chefes podem se tornar líderes, e para aqueles que querem efetivamente liderar no local de trabalho, isso deve se tornar uma prioridade.

Ao empregar as características de um líder ao cargo, os chefes podem se tornar líderes que recrutam e retêm os melhores talentos, ao mesmo tempo em que cultivam o crescimento dos colaboradores e aumentam os lucros de uma empresa. Então, quais são essas características que diferenciam um chefe de um líder? Confira no artigo!

DEFINIÇÃO DE UM “BOSS”

Chefe é uma palavra que tende a evocar respostas negativas. Quando descrevemos alguém como “mandão”, geralmente  sugerimos que a pessoa não está se comportando de forma extremamente positiva.

Portanto, ser um chefe é um status específico em que a pessoa indicada ocupa uma posição mais elevada do que as que reportam a ela na organização. Ele ou ela é responsável na organização.

Um chefe, através de sua autoridade, dá ordens e supervisiona seus colaboradores, certificando-se de que eles farão o trabalho de acordo com o que foi solicitado.

Essencialmente, as características da palavra “chefe” são diretas. A palavra é definida por clareza e poder. Ser um chefe é estar em uma posição que exige a capacidade de fornecer instruções e ordens, garantindo que as pessoas façam as coisas que ele delega. Os chefes não perguntam a seus colaboradores, eles dizem o que precisa ser feito. Se você despir o papel de um chefe em sua forma mais básica, a posição revelada será sobre supervisão.

DEFINIÇÃO DE UM LÍDER

Um líder, por outro lado, é uma palavra que recebe uma resposta mais positiva das pessoas. Tendemos a dizer coisas como “ele era um líder natural” ou “ela era uma grande e talentosa líder”. A associação com a palavra é mais positiva e a palavra é frequentemente utilizada apenas no contexto de pessoas que reverenciamos ou admiramos.

Os dicionários definem o substantivo como “uma pessoa que lidera ou comanda um grupo, organização ou país”. A diferença para um chefe não é necessariamente aparente na palavra. Afinal, um líder também está em um papel de comando e tem a capacidade de dizer aos outros o que fazer.

Um líder nunca é apenas uma pessoa que instrui e usa o poder fornecido pela posição. Ele orientará e apoiará o colaborador para alcançar o objetivo final requerido. Um líder dirá e, mais importante, mostrará a direção e fará parte da jornada para chegar ao destino. Enquanto o foco ainda está em fazer os trabalhos necessários, a ênfase com um líder não é apenas no resultado, mas também no processo.

Portanto, comparado à essência do trabalho de um chefe, um líder não está lá para dizer o que precisa ser feito. Um líder deve mostrar qual é o trabalho a ser feito e orientar para a execução das tarefas. De certa forma, o papel do líder é mais motivacional do que supervisão. Com a orientação e apoio, um líder se torna a base para manter seus colaboradores motivados a seguir o caminho.

E como Dale Carnegie escreveu em seu célebre livro Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas: “a única maneira de fazer com que uma pessoa faça o que você quer que ela faça é ela querendo fazer”. E está aí uma das grandes diferenças entre um líder e um chefe. Um líder consegue levar as pessoas a encararem os desafios com gana, fruto de alto grau motivacional. E motivação é a chave para obter excelentes resultados.

Afinal, quais são as principais diferenças?

Examinando as definições das palavras, você provavelmente já percebeu os meandros em jogo. Embora, no início, os dois termos possam parecer bastante semelhantes e intercambiáveis se mostram muito distintos não é mesmo?

Agora seguiremos para o exame mais detalhado que destaca as diferenças mais profundas entre os papéis:

Diferença #1: Chefes focam no lucro, líderes na visão

Para um chefe, o objetivo final é o lucro. Um chefe assume um papel que é o de garantir à organização os melhores resultados financeiros que ajudarão a certificar a continuidade dos negócios. E sempre adota uma postura limitada ao interesse em supervisionar como as coisas sendo feitas.

Banner E-book Dale Carnegie

O chefe não está interessado em saber como os subordinados vão do Ponto A ao Ponto B, porque o resultado é tudo o que importa. Se você é capaz de atingir os objetivos e fazê-lo de maneira eficiente, o chefe fica satisfeito, pois isso garante que a organização tenha lucro. A orientação do chefe é atingir os objetivos, muitas vezes porque um chefe pode ser responsável perante os outros, assim como os subordinados são para ele ou ela. Se o chefe não conseguir que seus subordinados atinjam tarefas e forneçam resultados financeiros, sua posição pode estar em perigo. Em resumo, um chefe está mais interessado no resultado e não no processo.

Por outro lado, um líder está focado em mudar as pessoas e a organização. A situação ideal para um líder é alcançar a mudança, uma transformação que leve de um determinado ponto a outro. Tem sempre relação com alcançar uma visão transformadora, e melhores resultados financeiros é reflexo do que pode ocorrer no processo.

Diferença #2: Um líder cria mais líderes

Um dos principais objetivos dos líderes é criar mais líderes. Ao inspirar e motivar seus funcionários, os líderes definem a estrutura para os trabalhadores crescerem, melhorarem suas habilidades e assumirem funções de liderança. O líder está interessado em ajudar seus colaboradores a crescer como profissionais e como pessoas. Em vez de prestar atenção no resultado, o líder estará mais interessado no processo e nas pessoas por trás dele.

Diferença #3: Líderes lideram, Chefes empurram

Os líderes motivam seus funcionários, o que os inspira a seguir o seu exemplo. Os chefes tendem a empurrar os funcionários em vez de direcioná-los. Esse tipo de gerente tende a nunca tomar decisões, o que força os funcionários a trabalhar sem orientação e expectativas, enquanto seu gerente se esconde atrás de um muro de inação.

Os verdadeiros líderes frequentemente apresentam ideias e trabalham ao lado de seus funcionários. Eles comunicam claramente os objetivos para a equipe e suas ações visam alcançar metas juntos. Essa é a diferença entre inspirar os membros da equipe e perder o respeito. Quando uma equipe confia em um líder, ela pode ajudar a melhorar a cultura da equipe e motivar os funcionários a contribuir.

Diferença #4: Líderes ouvem, depois falam

Bons líderes passam tempo ouvindo seus funcionários em vez de falar sobre eles. Eles entendem o valor de buscar e incorporar as opiniões dos outros no processo de tomada de decisão.

Chefes tendem a dominar conversas. Eles esperam que os funcionários ouçam e cumpram seus comandos, com pouca ou nenhuma direção. Esse tipo de atitude não é uma boa abordagem para formar uma equipe de funcionários engajados que desejam ser valorizados por seus conhecimentos e habilidades.

Diferença #5: Chefes reclamam, líderes arregaçam as mangas

Quando uma empresa lança um grande projeto, os verdadeiros líderes ficam “nas trincheiras” com suas equipes. Os líderes tomam a iniciativa, enquanto os chefes tendem a se afastar e  apenas “supervisionar” os outros que fazem o trabalho.

Um verdadeiro líder investe seu tempo, sua motivação e sua energia em um projeto com a equipe, arregaça as mangas quando é preciso e isso pode inspirar os outros a fazer o seu melhor trabalho. Os chefes gostam de sentar-se à margem e só interagem para dar ordens. Isso prejudica a motivação, a colaboração e a criatividade das equipes.

Diferença #6: Chefes repreendem, líderes instruem

Ou, melhor: um chefe critica. Um líder encoraja. Dale Carnegie já dizia em seu princípio número um para liderar e influenciar pessoas, “Não critique, não condene e não se queixe”. Sim, críticas construtivas são necessárias para ajudar alguém a melhorar. Mas constantemente é dito que o que eles estão fazendo de errado não apenas desencoraja uma pessoa, mas faz com que ela se desvincule.

Existe tempo e lugar para comunicar irregularidades e ações corretivas. No entanto, a grande maioria dos assuntos que envolvem um funcionário pode ser tratada com uma dose de críticas construtivas, e não uma bronca severa, seja em particular ou na frente dos colegas.

Os líderes oferecem conselhos sólidos em um ambiente privado, enquanto os chefes tendem a repreender e podem até ameaçar seus funcionários, o que pode deixá-los preocupados, envergonhados e derrotados. Os líderes também podem oferecer disciplina, mas sua abordagem deve ser uma experiência de aprendizado para os funcionários redirecionarem seus esforços para longe do que não está funcionando.

​​​​​​Bem, estas representam algumas das diferenças entre um chefe e um líder. Os verdadeiros líderes assumem o compromisso de avaliar seus estilos de gestão, compreender essas diferenças fundamentais e, em seguida, fazer um esforço conjunto para colocar essas boas características de liderança em ação.

Então, gostou do artigo? E que tal desenvolver suas habilidades de gestão e liderança? Afinal, o conhecimento estimula o desenvolvimento, sempre. Conheça também o Treinamento de Liderança para Gestores da Dale Carnegie, entre em contato conosco.

Faça sua inscrição antecipada aqui