Quando pensamos em um líder, imaginamos alguém que nunca deixa seu temperamento sair de controle, independentemente dos problemas que enfrenta. Alguém que tenha a total confiança de seus colaboradores. Alguém que ouça sua equipe e que seja fácil de conversar. Alguém que sempre toma decisões com cautela. Ou seja, imaginamos uma pessoa com um alto grau de inteligência emocional.

Isso porque para serem eficazes, os líderes devem ter uma compreensão sólida de como suas emoções e ações afetam as pessoas ao seu redor. “Conhecer os outros é inteligência, conhecer-se a si próprio é verdadeira sabedoria. Controlar os outros é força, controlar-se a si próprio é verdadeiro poder”. Esse aforismo de autoria do filósofo e escritor da antiga China, Lao-Tsé, sintetiza perfeitamente o conceito de inteligência emocional.

“Conhecer os outros é inteligência, conhecer-se a si próprio é verdadeira sabedoria. Controlar os outros é força, controlar-se a si próprio é verdadeiro poder”

Neste artigo, veremos por que a inteligência emocional é tão importante para a liderança — e como você, como líder, pode desenvolvê-la. Confira!

O que é inteligência emocional?

A Inteligência Emocional (IE) é a capacidade de entender e gerenciar suas próprias emoções, e das pessoas ao seu redor. Pessoas com um alto grau de inteligência emocional sabem o que estão sentindo, o que suas emoções significam, e como essas emoções podem afetar outras pessoas.

Para os líderes, ter inteligência emocional é essencial. Afinal, quem é mais provável que tenha sucesso – um líder que grita com sua equipe quando está sob estresse, ou um líder que mantém o controle e avalia calmamente a situação?

De acordo com Daniel Goleman, um psicólogo americano que ajudou a popularizar o conceito de inteligência emocional, existem cinco elementos-chave: Autoconsciência; Auto-regulação; Motivação; Empatia; Habilidades sociais.

Quanto mais você, como líder, gerencia cada uma dessas áreas, maior sua inteligência emocional. Então, vamos analisar cada elemento com mais detalhes e examinar como você pode crescer como um líder:

1. Autoconsciência

Se você é consciente de si mesmo, você sempre sabe como se sente, e você sabe como suas emoções e suas ações podem afetar as pessoas ao seu redor. Ser consciente de si quando se está em uma posição de liderança também significa ter uma imagem clara de seus pontos fortes e fracos, e significa comportar-se com humildade.

Quando você sentir raiva ou outras emoções fortes, desacelere para examinar o porquê. Lembre-se, independentemente da situação, você sempre pode escolher como reagirá.

E procure exercitar a calma – A próxima vez que você estiver em uma situação desafiadora, esteja bem ciente de como você age. Gritar com outra pessoa não alivia o estresse. Pratique exercícios de respiração profunda para acalmar-se.

2. Auto-regulação

Líderes que são capazes de se auto-regularem, raramente atacam verbalmente os outros, tomam decisões equivocadas ou impulsivas, estereotipam pessoas ou comprometem seus valores. A auto-regulação consiste em manter o controle. Esse elemento de inteligência emocional também cobre a flexibilidade e o compromisso de um líder com a  responsabilidade pessoal.

Então, como você pode melhorar a sua capacidade de auto-regulação? Seja responsável – Se você costuma culpar os outros quando algo dá errado, pare. Comprometa-se em admitir seus erros e enfrentar as consequências, seja lá o que for. Você provavelmente dormirá melhor à noite, e ganhará rapidamente o respeito daqueles ao seu redor.

Comprometa-se em admitir seus erros e enfrentar as consequências, seja lá o que for.

Outra dica: escreva o que você sente. Tente anotar todas as coisas negativas que você quer dizer, e depois rasgue e jogue fora. Expressar essas emoções no papel (e não mostrá-las a ninguém!) é melhor do que falar em voz alta para sua equipe.

Banner E-book Dale Carnegie

3. Motivação

Os líderes automotivados trabalham consistentemente em direção a seus objetivos, e eles têm padrões extremamente elevados para a qualidade do seu trabalho. É fundamental ser consciente do quão motivado você está em seu papel de liderança. Lembre-se que líderes motivados geralmente são otimistas, independentemente dos problemas que enfrentam.

4. Empatia

Se você quer ganhar o respeito e a lealdade de sua equipe, então mostre-lhes o seu interesse por ser empático. Coloque-se na posição de outra pessoa – é fácil apoiar o seu próprio ponto de vista. Afinal, é seu! Mas, como líder, é fundamental observar situações das perspectivas dos outros, principalmente dos membros da sua equipe.

5. Habilidades sociais

Líderes que têm boas habilidades sociais são grandes comunicadores. Estão abertos a ouvir boas e más notícias, e são especialistas em conseguir que seu time os apoie  com uma nova missão ou projeto. Também são bons em gerenciar mudanças e resolver conflitos de forma diplomática.

O que acontece quando os líderes não são emocionalmente inteligentes?

Líderes com baixa inteligência emocional podem ser propensos a um comportamento passivo-agressivo ou mesmo gritar, assediar e culpar outras pessoas.

Líderes que não demonstram inteligência emocional levam as situações para o âmbito pessoal e não são capazes de avançar com planos e projetos sem se preocupar com o impacto em seus egos.

A falta de inteligência emocional na liderança inibem a colaboração. Quando um líder não tem controle sobre suas próprias emoções e reage de forma inadequada, seus colaboradores tendem a não contribuir com suas idéias, por medo de como o líder irá responder.

Não proporcionam ambientes seguros, onde os funcionários se sintam confortáveis ​​para assumir riscos calculados e expressar suas opiniões.

Inteligência emocional com os Princípios de Dale Carnegie

A maioria dos líderes frequentemente enfrenta situações estressantes. Pensando nesse aspecto, em “Como evitar preocupações e começar a viver”, livro clássico que invoca a importância do controle emocional, Dale Carnegie compartilhou algumas técnicas e princípios essenciais para um líder gerenciar as preocupações e manter a energia e o ânimo elevados.

Acabe com o hábito de se preocupar antes que ele acabe com você

  1. Descanse antes de se cansar.
  2. Aprenda a relaxar no trabalho
  3. Faça as coisas por ordem de importância.
  4. Quando tiver que enfrentar um problema, resolva-o imediatamente se tiver os fatos necessários para tomar uma decisão.
  5. Aprenda a organizar, delegar e supervisionar.
  6. Trabalhe com entusiasmo.
  7. Utilize a lei das probabilidades para banir as suas preocupações.
  8. Decida quanta ansiedade uma situação merece e recuse-se a conceder-lhe mais.

Técnicas básicas para analisar as preocupações

  1. Reúna todos os fatos.
  2. Pondere todos os fatos – então tome uma decisão.
  3. Depois da decisão tomada, aja!
  4. Escreva as respostas às seguintes perguntas:

a. Qual é o problema?

b. Quais são as causas do problema?

c. Quais são as possíveis soluções?

d. Qual é a melhor solução possível?

Concluindo, quanto melhor um líder se relaciona e trabalha com outros, mais bem-sucedido ele ou ela será. Então, comece agora a trabalhar na autoconsciência, autorregulação, motivação, empatia e habilidades sociais. Trabalhar nestas áreas irá ajudá-lo a se destacar no futuro!

E se você gostou de ler esse texto, que tal começar a aprimorar sua inteligência emocional e suas habilidades de liderança com quem é referência? Conte sempre com a  Dale Carnegie  para ajudá-lo nessa missão!

Faça sua inscrição antecipada aqui