Em qualquer empresa, o líder deve atuar como um facilitador. Mesmo que diversas funções sejam exercidas durante o dia, o papel principal é oferecer suporte à equipe, mediar conflitos, atender às necessidades dos clientes e garantir que os resultados sejam alcançados. Entretanto, muitos ainda acabam se afogando em pequenas tarefas operacionais e desenvolver uma liderança fácil e ágil se torna cada vez mais difícil.

Também chamada de nimbleleadership, a liderança ágil tem sido uma necessidade cada vez maior em um mercado em constante evolução. O líder precisa estar atento às mudanças, propor soluções rápidas e inovadoras e se antecipar aos acontecimentos que possam afetar a organização.

Dependendo do estilo de gestão atual, pode ser desafiador estabelecer a liderança fácil e ágil rapidamente. O líder deve entender que o principal responsável por iniciar essa mudança é ele. Essa auto responsabilidade serve como exemplo para a equipe, auxiliando no incremento da cooperação e engajamento, e, por sua vez, na transição do papel do líder.

Neste artigo, vamos falar mais sobre a liderança fácil e ágil e quais as suas principais características. Continue lendo e conheça também algumas dicas que irão ajudá-lo a desenvolver esse estilo de gestão.

Entenda a importância de uma liderança fácil e ágil

O mundo está mudando. E está mudando agora. Para manter-se competitivo, já não basta estar a par das mudanças, mas sim estar à frente delas. Esse, claro, é papel do líder: perceber a evolução do cenário, das necessidades dos clientes e da própria organização. Mas, será que, dentre todas as tarefas do dia a dia, há tempo para dedicar-se a esse estudo?

Se você respondeu “não”, é bom ficar atento: é possível que você esteja deixando de lado o principal aspecto da liderança para se dedicar a “apagar incêndios”. Adotar uma liderança fácil e ágil é priorizar as necessidades da organização e dos clientes por meio de uma gestão focada no macro, nos resultados.

Ainda é bastante comum encontrarmos líderes que mantêm sua atenção na microgestão, na forma como as coisas devem ser feitas. Enquanto isso, os ágeis têm uma visão holística do seu papel e conseguem preparar, delegar e acompanhar a equipe com as demandas operacionais, resguardando energia para o estratégico.

Esse modelo de gestão permite manter a organização a par das necessidades do mercado e dos clientes, oferecendo soluções rápidas para problemas que, muitas vezes, ainda não chegam a impactar os negócios.

Os 4 aspectos da liderança fácil e ágil

O autor do livro The new agile manager, Joseph Flahiff, escreveu um artigo onde lista os 4 aspectos fundamentais da liderança ágil. O sistema, nomeado por ele de 4AA (4 Aspectos da Agilidade), é apoiado por estes pilares:

1. Prática técnica

É preciso que o líder entenda que todo o processo, ferramentas e cultura podem ― e devem ― mudar. Seu foco deve sempre estar na resolução dos problemas e em garantir a satisfação do cliente. Portanto, é preciso manter-se aberto e flexível para adaptar metodologias e ter em mente que o aspecto principal de empresas ágeis é responderem às mudanças de forma a agregar valor às soluções oferecidas.

2. Sistema de negócios

Em organizações ágeis, todos os setores e processos devem apoiar o líder para que ele desenvolva sua função. Assim, é imprescindível que as equipes estejam em contato constante e aptas a trabalharem em conjunto.

3. Cultura

Fica difícil ter uma liderança fácil e ágil quando a cultura organizacional não permite o dinamismo. Para que o líder adote o nimbleleadership, é fundamental que os valores e crenças da empresa também possam ser adaptados ao desenvolvimento da gestão.

Banner E-book Dale Carnegie

Em organizações ágeis, as equipes são compostas por profissionais altamente engajados e seguros daquilo que fazem e, para atingir-se esse nível de maturidade, é preciso criar um ambiente encorajador, onde expor opiniões seja não apenas aceito, mas estimulado.

4. Liderança

Este aspecto depende única e exclusivamente da postura do líder. Ele precisa determinar e esclarecer para a equipe quais as metas e objetivos, ao mesmo tempo em que atua para remover os obstáculos que os impedem de desenvolver o projeto com excelência.

Nos dois primeiros tópicos, Flahiff fornece aspectos que são mais fáceis de modificar, afinal, são pontos práticos e que envolvem a ação. Já os finais, mostram que a mudança deve ocorrer também internamente, seja no nível organizacional ou pessoal. Alguns podem ignorar esses aspectos, achando-os irrelevantes ou complicados demais para modificações, mas o autor alerta que esses são os pontos-chave para que a mudança seja realmente incorporada na empresa.

3 passos para desenvolver a nimbleleadership

Como você pôde perceber, as mudanças mais significativas são aquelas que dizem respeito ao mindset do líder. Mas, toda mudança é possível! Confira 3 dicas que vão ajudar você a adotar um estilo de liderança muito mais ágil e fácil.

1. Clareza e objetividade

Um dos fatores que contribuem para a baixa produtividade da equipe é a falta de clareza sobre o que se espera dela. Não saber o que ou qual o propósito em desempenhar tal tarefa faz com que haja muito mais insegurança no desenvolvimento. Como consequência, os projetos têm muitos retrabalhos e demoram muito a atingir o seu objetivo.

Na liderança fácil e ágil o responsável pela equipe cria uma via de comunicação transparente com todos, por meio de comandos claros, propósito do negócio e de cada membro bem definidos e sintonia nos relacionamentos. Sendo assim, todos sabem o que precisa ser feito e o que se espera de cada um.

2. Confiança na equipe

O líder ágil sabe que é sua responsabilidade prezar pelo tempo para pensar e executar as estratégias. Por isso, é cauteloso no processo de delegação das atividades e entende a importância de dedicar-se ao acompanhamento dessas delegações. Entendendo, assim, que o suporte e confiança proporcionam o desenvolvimento da equipe, dos processos e constância na operação.

3. Foco

Mais uma vez, é bom lembrar: o líder é uma peça estratégica, não operacional da empresa. Manter o foco nas necessidades dos clientes, na observação dos movimentos do mercado e nos resultados esperados é o que deve engajar o líder a aprimorar seu estilo de gestão.

Adotar um modelo de liderança fácil e ágil não traz benefícios apenas para a organização. Os membros da equipe também se engajam mais ao saber que seu trabalho é importante para obter resultados e têm uma melhora significativa na autoestima ao se sentirem ouvidos. O próprio líder reconhece que tem benefícios no uso direcionado do seu tempo, focando nas áreas chave que exigem seu olhar.

Gostou de saber mais sobre a liderança fácil e ágil? Se quiser continuar potencializando seus conhecimentos sobre o assunto, continue acompanhando o nosso blog ou mande uma mensagem para a nossa equipe.

Banner E-book Dale Carnegie - Relações Interpessoais