As mulheres empreendedoras têm conquistado tanto espaço que a ONU já reservou um dia só para elas: 19 de novembro, Dia do Empreendedorismo Feminino. Um relatório de 2019 do Sebrae mostra que o Brasil tem a 7.ª maior proporção de mulheres entre os Empreendedores Iniciais (empresas com até 3,5 anos de existência).

O país tem hoje 24 milhões de empreendedoras ― mulheres que realizaram alguma movimentação empreendedora nos últimos 12 meses ―, mas apenas 9,3 milhões estão à frente de um empreendimento como empregadoras ou por conta própria. E aqui cabe um dado interessante: a cada 10 homens empreendedores, 6,5 viram donos de negócio, enquanto apenas 3,9 das mulheres fazem essa conversão.

Mas o que acontece para que essa mudança de status seja 40% menor no caso das mulheres? O que faz com que a desistência feminina seja maior, mesmo com escolaridade 16% superior à dos homens? Os motivos podem ser muitos e bastante particulares, mas o fato é que as mulheres empreendedoras ainda precisam romper muitas barreiras para se tornar donas de negócio.

No artigo de hoje, vamos debater um pouco mais sobre o empreendedorismo feminino. Também vamos dar algumas dicas para que você, mulher empreendedora, supere os obstáculos e se torne a dona do seu próprio negócio. Acompanhe!

Mulheres empreendedoras no Brasil: os principais obstáculos

Muitas mulheres optam pelo empreendedorismo após a maternidade, onde veem no próprio negócio uma forma de se manterem ativas e com mais flexibilidade na jornada. Entretanto, a taxa de desistência já nos dois primeiros anos é maior que a dos homens.

Infelizmente, o preconceito de gênero ainda é uma realidade no mercado de trabalho. Ainda de acordo com o Sebrae, embora mais qualificadas, as mulheres lucram 22% menos que os homens. Esse, talvez, seja o maior obstáculo que mulheres empreendedoras enfrentam.

Até porque o preconceito de gênero faz com que muitas, apesar da qualificação, sofram impactos diretos na autoestima. As consequências, são visíveis quando falamos na precificação dos serviços: buscando se manter ativas no mercado, muitas têm dificuldade na hora de estipular preços e acabam oferecendo seu trabalho por um valor menor.

A dificuldade na precificação é um problema entre ambos os sexos: 89% dos empreendedores brasileiros não sabem se cobram o valor certo pelo seu trabalho, como mostra uma pesquisa feita pela empresa Preço Certo. Entretanto, entre as mulheres, ele é ainda mais grave. Muito trabalho e pouco lucro podem ser os responsáveis pela desistência de muitas mulheres na hora de empreender.

O relatório do Sebrae também traz outros dados que provam como o empreendedorismo pode ser mais duro com as mulheres:

  • elas têm menos acesso ao crédito bancário, mesmo com menor taxa de inadimplência;
  • pagam taxas bancárias mais caras;
  • recebem menos investimentos.

Entretanto, grande parte dos problemas pode ser contornada com disciplina, dedicação e alguma pesquisa ― alguns bancos, por exemplo, já trabalham com linhas de crédito especiais para mulheres empreendedoras.

4 dicas para mulheres empreendedoras

Se você chegou até aqui, já percebeu que o empreendedorismo pode ser um pouco mais complicado para as mulheres. Mas, exemplos de empreendedoras bem-sucedidas, como a brasileira Zica Assis, reconhecida como uma das 10 empresárias mais importantes do Brasil pela revista Forbes, mostram que com coragem e ambição, o sucesso é possível para todas.

Confira agora 4 dicas que podem ajudar mulheres empreendedoras a firmar ― ou expandir ― seus negócios.

1. Formalize-se

Apenas 30% das empreendedoras brasileiras possuem CNPJ. Iniciativas como o MEI (Microempreendedor Individual) permitem que negócios individuais trabalhem formalizados por uma pequena mensalidade. Formalizar o seu negócio permite que você consiga linhas de crédito melhores junto aos bancos, emita nota fiscais, evite problemas com fiscalização e tenha acesso a benefícios sociais como salário-maternidade, aposentadoria por idade e INSS.

A formalização como MEI é feita on-line e é bastante simples. Para mais informações, acesse o Portal do Empreendedor.

2. Organize suas finanças

Misturar as contas da empresa com as contas pessoais é o erro mais comum entre empreendedores. Mesmo que o seu negócio movimente pouco dinheiro, é preciso ter um controle rigoroso sobre o que entra, o que sai, quanto está sendo gasto com materiais, fornecedores e tudo o que envolve o empreendimento.

É essencial que a empreendedora tenha controle sobre seus gastos fixos, custos diretos e indiretos e mantenha um fluxo de caixa que possibilite segurança financeira.

3. Confie no seu trabalho

Ter autoestima é fundamental para empreender. Como falamos há pouco, a falta dela é um problema que afeta muitas mulheres empreendedoras. Mas, é preciso coragem e confiança no que se faz para poder avançar e crescer.

Planeje o seu negócio considerando todos os aspectos que o envolvem, não apenas a produção e desenvolvimento do produto ou serviço. Ter o controle holístico do empreendimento dá mais segurança na hora de colocar em prática os planos desenvolvidos.

4. Arrisque-se

Mulheres empreendedoras têm como característica tomarem decisões embasadas em dados e agirem após muita ponderação. Claro que esse é um traço muito importante para quem quer empreender, mas é preciso não se prender demais aos detalhes. Planejar demais e pouco desenvolver pode ser um claro sinal de autossabotagem.

Nem sempre as coisas sairão como planejado, por mais tempo e cuidado que tenham sido demandados na decisão. É preciso ter isso em mente para não se frustrar diante de alguns percalços. O importante mesmo é conseguir tirar lições daquilo que não saiu como deveria e aprender com os erros. Novas chances de acertar virão, mas, para isso, é preciso se arriscar e ter coragem!

Além disso, diversos cursos e treinamentos voltados a mulheres empreendedoras têm ganhado espaço. Buscar ajuda para aprender a lidar, gerenciar e expandir é uma ótima pedida para quem quer ver o seu negócio prosperar.

Gostou de saber mais sobre os obstáculos enfrentados pelas mulheres empreendedoras? Caso você tenha alguma dúvida ou queira conversar melhor sobre o seu negócio, envie uma mensagem para a equipe do Portal Dale Carnegie. Nossos consultores estão prontos para ajudá-la.