Nós gastamos uma grande parte de nossas vidas no trabalho, e as carreiras podem ser tanto uma fonte de emoções positivas (por exemplo, felicidade, sentimentos de realização e pertencimento, etc.), como uma fonte de emoções negativas e estresse.

É um desafio para quem está desequilibrado emocionalmente manter um autocontrole dentro do ambiente de trabalho. E uma pessoa emocionalmente mal, tende a levar todos os seus problemas de casa para o trabalho. Deve haver um cuidado para que o seu desempenho profissional não fique prejudicado.

A pessoa precisa compreender esse estado que ela está passando para saber trabalhar bem essas emoções. Saber administrar as emoções está intrinsecamente ligado a Inteligência Emocional. Uma pessoa emocionalmente desequilibrada desenvolve comportamentos agressivos que podem atrapalhar seriamente sua relação de trabalho com os colegas e equipe.

Identificar um desequilíbrio emocional por si só já é um desafio. Quando ele ocorre no ambiente de trabalho pode ser ainda mais complicado, já que existe um crença enraizada de que o estresse precisa estar sempre presente quando se trata de assuntos de trabalho. Mas, será que realmente precisa sempre ser assim?

Afinal, o que caracteriza um desequilíbrio emocional?

Alterações de humor frequentes e estar sempre saindo do eixo são os principais indícios de um desequilíbrio emocional. O excesso de responsabilidade, a sobrecarga e a dificuldade em conciliar vida pessoal e profissional podem desencadear o problema.

Além de prejudicar o desempenho, a vida pessoal e os relacionamentos, o desequilíbrio emocional pode causar sintomas como dores de cabeça intensas, problemas gástricos, musculares e até uma depressão.

Muitas vezes, as pessoas pensam que estar emocionalmente fora de controle é gritar constantemente ou chorar à menor provocação. Mas a falta de autocontrole emocional assume muitas formas. Aqui estão os principais sintomas de descontrole emocional no ambiente de trabalho e estratégias para gerenciá-los.

Raiva

Sempre irritado? É claro que o ambiente profissional não será sempre um mar de rosas e muitas vezes é preciso respirar uma, duas… Quatro vezes! Porém, estar sempre irritado pode ser um sinal de que existe uma dificuldade em lidar com as adversidades (grandes ou pequenas) do dia a dia. A raiva no local de trabalho pode resultar de frustração, conflitos interpessoais com chefes ou colegas de trabalho e tratamento injusto.

A raiva no trabalho pode levar a um comportamento irracional, como reações explosivas, ameaças ou deixar o emprego. Uma chave para administrar a raiva no local de trabalho é afastar-se da situação e deixar sua raiva diminuir. Então, quando mais calmo, você pode dar passos mais racionais para lidar com a situação que o deixou irritado em primeiro lugar.

Sentimento de Inveja

É muito comum invejar as realizações e recompensas dadas aos colegas de trabalho. A teoria da equidade diz que todos somos motivados por um senso de justiça / equidade, e isso pode nos estimular a trabalhar mais para que também possamos ganhar essas recompensas, como aumentos salariais e promoções. Infelizmente, as recompensas no local de trabalho nem sempre são distribuídas de forma justa, e isso pode levar a reações emocionais negativas, incluindo a inveja. A chave para lidar com a inveja é analisar a situação e certificar-se de que, ao comparar-se com os outros, você esteja usando a “comparação correta”. Por exemplo, você não pode se comparar diretamente com alguém com mais experiência, educação ou tempo de serviço.

Banner E-book Dale Carnegie - Relações Interpessoais

Medo

É desconcertante pensar que o medo seria comum no local de trabalho, mas o risco de perder um emprego pode causar medo e incerteza. Manter seu currículo atualizado e explorar outras possibilidades de emprego pode ajudar a manter o medo à distância. Um supervisor punitivo ou um provocador no local de trabalho também pode causar medo e altos níveis de sofrimento no local de trabalho.

Sentimento de Culpa

Se nos sentimos culpados por causa de uma tarefa inacabada, ou porque de alguma forma ofendemos um colega, a culpa pode realmente ser uma força positiva e motivadora no local de trabalho. A melhor maneira de eliminar a culpa é atender (ou exceder) suas demandas e tomar medidas para consertar conflitos interpessoais no local de trabalho.

Sentimento de Desamparo

Uma sensação de desamparo no trabalho, ou um sentimento de ansiedade, é um sinal de alerta que não deve ser ignorado. Uma sensação de desamparo ou desesperança pode sinalizar que você está preocupado com sua carreira e para onde está indo, ou pode ser um sinal de depressão. Em qualquer caso, não ignore esses sentimentos se persistirem. Busque aconselhamento – seja para ajudar a gerenciar seus sentimentos ou para ajudá-lo a encontrar um emprego ou uma carreira mais satisfatória.

Os impactos da inteligência emocional na liderança

Lidar com as emoções é tão importante quanto desenvolver habilidades técnicas no trabalho. Para que um profissional se destaque, é preciso muito mais do que o domínio de sua função. É por isso que um gestor com um baixíssimo – ou alto – quociente emocional tem o poder de interferir diretamente no desempenho de uma equipe.

Para o gestor, os ganhos são as tomadas de decisão bem mais sensatas e sua autopreservação, o respeito e admiração da equipe, além do reconhecimento da diretoria. Inclusive, se você tiver interesse no assunto e deseja se aprofundar, vai gostar de ler nosso artigo “A importância da inteligência emocional na liderança“.

O líder inteligente emocionalmente é aquele que sabe separar conflitos pessoais do andamento do trabalho e lida bem com situações inesperadas no dia a dia. Este tipo de líder desenvolve uma equipe mais colaborativa, criativa e apta a resolver problemas complexos (muitas vezes, sem o seu aval).

Então, como você pode aprender a gerenciar suas emoções?

A boa notícia sobre as competências de Inteligência Emocional é que elas são habilidades que você pode aprender. Aliás, confira em nosso artigo “Como ter controle emocional“. Assim como você pode tomar medidas para melhorar a sua tacada de golfe ou outras técnicas físicas, você também pode fortalecer suas habilidades emocionais.

E como bem observou Dale Carnegie “Não é o que você tem, ou quem você é, ou onde você está, ou o que você está fazendo que o faz feliz ou infeliz. É o que você pensa sobre.” Por isso, controle suas emoções, controle seus impulsos e controle seus pensamentos negativos e seja mais realizado.

E se você gostou de ler esse texto, que tal começar colocar em práticas essas dicas e manter as rédeas das suas emoções? E se você deseja investir em seu desenvolvimento pessoal e emocional, conte sempre com a  Dale Carnegie para ajudá-lo nessa missão!

Banner E-book Dale Carnegie - Relações Interpessoais