Uma boa liderança nem sempre significa hierarquia e força. Um bom gestor sabe que, muitas vezes, suporte, bons conselhos e gentileza podem ter um efeito muito maior do que instruções rígidas.

Assim, o líder não é aquele que quer ser seguido, mas para quem as pessoas vão sem coerção. O estilo democrático implica em uma política de diálogo e participação mútua na promoção da empresa através do crescimento pessoal dos colaboradores. A seguir, entenda com mais profundidade o que é a liderança democrática e como fazer ela funcionar em uma gestão. Confira!

Definição de Liderança Democrática

Nas empresas, onde um estilo democrático predomina, um gerente lida apenas com as questões mais complexas e importantes, fornecendo aos colaboradores todo o resto. Ele não está sujeito a estereótipos e varia seu próprio comportamento de acordo com as circunstâncias. As tarefas são distribuídas sob a forma de propostas, considerando as opiniões dos subordinados. Isso se deve não à ausência de opinião própria ou ao desejo de compartilhar responsabilidades, mas à crença de que, durante uma discussão habilmente organizada, as melhores soluções sempre podem ser encontradas.

Tal líder é bem versado em méritos e fraquezas de pessoal. Ele se concentra em suas capacidades e aspiração de auto-expressão através do potencial intelectual e profissional. Resultados desejáveis são alcançados convencendo-se sobre a adequação e significância das tarefas atribuídas aos profissionais.

Na visão de um líder democrático, os conflitos são percebidos como um fenômeno natural, do qual é possível se beneficiar se você se aprofundar em sua causa e essência. Sob tal sistema de comunicação, as atividades de um líder são combinadas com a educação de seus subordinados, de modo que um sentimento de confiança e respeito é fortalecido entre eles.

Quando deve ser usada?

Quando as situações mudam com frequência, a liderança democrática oferece uma grande flexibilidade para se adaptar às melhores maneiras de fazer as coisas. Infelizmente, é um pouco demorado tomar uma decisão nessa estrutura, portanto, embora possa abranger métodos mais elaborados; isso pode não acontecer muito rapidamente.

O estilo de liderança democrática pode trazer o melhor de uma equipe experiente e profissional. Ele capitaliza as habilidades e talentos ao permitir que todos compartilhem seus pontos de vista, em vez de simplesmente esperar que a equipe se conforme.

Se uma decisão é muito complexa e ampla, é importante ter as diferentes áreas de especialização representadas e contribuindo para a totalidade – é aí que o líder democrático brilha.

Melhor cenário para usar a liderança democrática

A liderança democrática funciona melhor em situações em que os membros do grupo são qualificados e ansiosos para compartilhar seus conhecimentos. Também é importante ter bastante tempo para permitir que as pessoas contribuam, desenvolvam um plano e depois votem na melhor proposta de ação.

O estilo de liderança democrática é mais comum entre o pessoal de RH e os profissionais que preferem um estilo de gerenciamento participativo. Do ponto de vista da empresa, esse estilo de liderança enfatiza que a administração incentiva a distribuição de energia, pedindo a gerentes e colaboradores que participem ativamente dos processos de tomada de decisão.

As qualidades de um líder democrático

Existem certas características que tornam mais fácil ser um líder democrático. Se você possui as quatro características abaixo ou vai tentar desenvolver essas qualidades, pode começar sua jornada rumo à liderança democrática.

1. Inteligência

Embora todos os estilos de liderança exijam que o líder seja inteligente e competente, a liderança democrática está entre os principais estilos que exigem essa característica. O líder democrático é como um maestro de uma orquestra, ele precisa ter a competência para manter todas as partes juntas e em movimento. Embora as decisões possam não estar nas mãos do líder, ele precisa garantir que o grupo seja competente o suficiente para tomar as decisões.

O líder deve fornecer informações suficientes para que os subordinados garantam que estão bem equipados para fazer as escolhas certas. O líder muitas vezes será a pessoa que fornecerá informações básicas e responderá a perguntas que os subordinados possam ter sobre diversos tópicos.

Mas a inteligência para o líder democrático não deve ser apenas sobre o entendimento técnico e dos tópicos profissionais. O líder também precisa de muita inteligência emocional para garantir que a equipe trabalhe bem em conjunto. Não é fácil manter as pessoas trabalhando juntas em um ambiente onde todos devem ser capazes de expressar sua opinião. Portanto, o líder precisa ter a capacidade de se comunicar com diferentes personalidades e fazer com que as pessoas trabalhem juntas de forma eficiente.

2. Honestidade

Os líderes democratas precisam ser honestos. A comunicação aberta e a estrutura de liderança orientada pela discussão não funcionarão se o líder não puder ser honesto com os subordinados. O líder deve ser capaz de expor a situação para garantir que as decisões sejam tomadas baseadas em informações reais, e ele deve honrar sua própria opinião. Embora o líder possa ter a palavra final, isso não significa que ele não deve estabelecer suas próprias ideias sobre qual deve ser o melhor curso de ação.

Quando se trata de posições de liderança, a honestidade pode ser um traço difícil de se manter. O líder precisa garantir que as situações não se compliquem e que os colaboradores permaneçam felizes. Mas, ao mesmo tempo, ele não pode favorecer pessoas ou ocultar informações vitais apenas para manter um ambiente de trabalho feliz. Se ele demonstrar honestidade como líder, os subordinados também estarão mais propensos a permanecerem abertos. Isso criará um ambiente de trabalho melhor para todos.

É importante garantir que a honestidade não se traduza em mesquinhez. Quando for necessário fornecer críticas de ideias e críticas negativas, não precisa fazer isso de maneira brutal. A conselheira e psicoterapeuta Anna Jezuita recomenda usar um velho ditado Sufi como uma diretriz quando se trata de ser honesto sem ser um valentão. De acordo com o ditado, você deve se fazer três perguntas antes de expressar uma opinião:

  • O feedback que você deseja fornecer é verdadeiro?
  • O feedback é necessário para alcançar um objetivo ou meta?
  • O tipo de feedback é benéfico do ponto de vista da pessoa?

3. Criatividade

Um líder democrático também deve mostrar muito talento criativo. Uma vez que a estrutura de liderança requer ideias inovadoras e colaboração, o líder deve ser capaz de mostrar o caminho com as ideias. Ele também deve ser capaz de ajudar outros membros da equipe a inovar e isso pode exigir um pensamento inovador da parte dele.

A criatividade é frequentemente considerada uma característica inata, mas todos podem melhorar e aperfeiçoar seu pensamento criativo. Como líder, você pode melhorar sua própria criatividade, mas também a de seus subordinados, estabelecendo o ambiente certo dentro da organização. Você pode fazer isso garantindo que haja estímulos suficientes para manter as pessoas inovadoras. Continue seu aprendizado profissional e ofereça aos subordinados oportunidades de fazê-lo também.

4. Equidade

Como as pessoas estarão abertas para falar o que pensam e as decisões são feitas principalmente por meio de voto majoritário, o líder deve ser capaz de mostrar justiça. Não pode haver uma situação em que certas ideias sejam tratadas de maneira favorável, enquanto outras não são totalmente apreciadas. O quadro democrático deve ser justo e consistente, com o líder suportando o peso dessa responsabilidade.

Como líder, você precisa ser capaz de se distanciar emocionalmente da situação e pensar racionalmente. Justiça neste contexto também significa transparência. Se você permitir que os subordinados entendam seu próprio processo de pensamento, você mostrará a eles que suas decisões são baseadas na racionalidade e não em sentimentos injustos que você possa ter em relação a diferentes colaboradores.

Uma das principais maneiras de ser justo é definir diretrizes claras. Se você e a equipe criarem um conjunto de processos para os objetivos que você deseja atingir, então limitará o risco de parecer injusto. Comunique-se mais com seus subordinados e assegure-se de ouvir os comentários, mesmo que ache que não é necessário.

Banner E-book Dale Carnegie

Como fazer a liderança democrática funcionar?

Estabelecer um modelo de liderança democrática em uma organização não é uma tarefa fácil. Mas, com a ajuda das características acima e dos passos abaixo, é possível garantir que o líder possa fazer com que esse estilo de liderança funcione.

Primeiro, o líder deve se concentrar na comunicação aberta e honesta. É crucial para o líder aceitar e fazer críticas justas sem causar um problema. Para que esse tipo de comunicação funcione, ele deve estabelecer confiança com os subordinados e demonstrar consistência e justiça em suas decisões.

A chave é abordar ideias e sugestões com uma mente aberta. Se as pessoas não se sentirem criticadas ou ridicularizadas pelas ideias que apresentam, é mais provável que elas se sintam capazes de continuar sendo criativas. Além disso, o líder precisa garantir que todos no grupo possam visualizar diferentes ideias sem descartá-las imediatamente. O líder deve criar um canal de comunicação aberto e honesto entre ele e os subordinados e não apenas de uma maneira impositiva.

A confiança e o comprometimento podem ser construídos mais rapidamente se houver respeito por diferentes ideias, mesmo quando a ideia em particular não se encaixa na necessidade atual. Como líder, você não deve afastar uma ideia apenas porque ela não é relevante no momento. Você não deve gastar muito tempo falando sobre problemas que não são relevantes, mas também não pode descartar as sugestões imediatamente.

O terceiro ponto de foco deve ser criar um ambiente de compromisso determinado com decisões e explicação de diferentes papéis e regras. Conforme mencionado anteriormente, a estrutura de liderança democrática funciona melhor quando as responsabilidades são delineadas com clareza. Uma das principais razões por trás dos processos clarificados é garantir que as pessoas permaneçam no assunto. O líder deve se certificar de que a conversa permaneça dentro da estrutura e a discussão flua em direção a uma solução para o problema em questão.

Em essência, a estrutura democrática precisa de alguém para manter o processo fluindo na direção certa, mesmo quando o poder de decisão é compartilhado. Se você já esteve em uma grande conferência, sabe que tem que haver uma equipe organizadora ajudando as pessoas, mesmo quando os participantes são livres para decidir onde e quando vão.

A determinação de se comprometer com as decisões é outra parte importante do papel do líder sob este modelo. Isso basicamente exige que o líder garanta que, quando uma decisão é tomada, a equipe se atenha a ela. Embora a tomada de decisão possa demorar mais tempo sob o sistema democrático, uma vez tomada, a discussão em torno dela deve terminar. Naturalmente, a organização deve rever constantemente se as decisões foram as corretas a serem tomadas; no entanto, o líder não pode fazer a equipe adivinhar as decisões em todos os momentos. Depois que a decisão for tomada, o líder deve garantir que todos trabalhem.

Finalmente, o líder tem que aprender a explicar as decisões aberta e claramente ao grupo e fazer com que todos participem. Como líder, seu dever é garantir que os subordinados entendam o raciocínio por trás das decisões.

Exemplos de líderes democráticos famosos

Exemplos de líderes democráticos não são difíceis de encontrar. O mundo político está cheio pessoas que se dizem democráticas, embora suas ações nem sempre sejam tão democráticas quanto os eleitores esperam.

Mas, como vimos acima, o modelo de liderança democrática não é sobre que lado você está no especto político, mas sobre a participação de subordinados na tomada de decisões. Muitos líderes usaram isso como uma estrutura para sua liderança e abaixo estão alguns dos exemplos mais notáveis.

Larry Page / Google

O Google tem buscado a liderança democrática desde sua fundação em 1998. Larry Page, cofundador do Google, tem sido uma parte incremental da criação, não apenas do império de negócios do Google, mas de sua abordagem democrática à inovação e colaboração.

A personalidade inteligente e criativa de Page conduz seu estilo. Ele tem sido ambicioso ao longo de sua carreira; em um estágio, ele afirmou que sua filosofia de trabalho é “devemos construir grandes coisas que não existem”. A abordagem radical da inovação também impulsiona o quadro democrático.

Como Page está tão focado em encontrar a próxima grande coisa, ele gosta de envolver outras pessoas na tomada de decisões. Sua abordagem é questionadora e ele tenta extrair o melhor de seus colaboradores. Não há meias-verdades e atalhos, mas os colaboradores devem demonstrar suas opiniões ou ideias.

Quando Page começou como CEO do Google, ele mudou as estratégias existentes. Seu primeiro objetivo era dividir a empresa em partes menores, que usariam estratégias democráticas para inovar e criar. Essencialmente, ele queria que as partes agissem como pequenas start-ups. Page forneceu às equipes individuais mais autonomia e, em contrapartida, desejava uma colaboração aprimorada com a equipe.

O estilo de liderança de Page brilha através da seguinte citação:
“Meu trabalho como líder é garantir que todos na empresa tenham grandes oportunidades, e sintam que estão tendo um impacto significativo e contribuindo para o bem da sociedade. Meu objetivo é que o Google lidere e não siga isso.”

Muhtar Kent / Coca-Cola

Outro famoso CEO, que usou o modelo democrático para ter sucesso, é Muhtar Kent. A carreira de Kent na Coca-Cola destaca o que o comprometimento e o foco na satisfação dos colaboradores podem ser no seu melhor.

Kent começou sua carreira na Coca-Cola em 1978. Ele construiu seu caminho através da escada corporativa, alcançando sucesso ao longo do caminho. Uma de suas maiores conquistas foi dobrar a produção da empresa. Ele ocupou vários cargos de liderança e aperfeiçoou suas habilidades em gerenciar pessoas em diferentes situações.

Quando Kent alcançou cargos mais altos dentro da empresa, colocou seu foco gerencial na melhoria das estruturas de liderança dentro da organização e na garantia de que a gerência promove o trabalho em equipe. Ele acreditava que era uma parte essencial para garantir resultados efetivos dentro da organização.

A liderança democrática é talvez o quadro de liderança mais amado entre os colaboradores. A ideia de responsabilidade compartilhada e maior envolvimento de toda a equipe se tornou popular entre os CEOs e colaboradores. Mas também é um sistema que pode ser difícil de se estabelecer e manter. Para obter êxito, é fundamental a colaboração e consciência de todos os envolvidos.

E então, gostou do artigo? Compartilhe sua opinião conosco nos comentários. E se você quer aprender mais sobre todas as formas de liderança, junte-se a Dale Carnegie e torne-se um líder inspirador.

Banner E-book Dale Carnegie - Liderar Uma Equipe de Vendas