Embora cada vez mais discutida, a inteligência emocional ainda desperta muitas dúvidas. Há quem acredite que possuir essa habilidade significa anular as emoções e levar a vida apenas de maneira racional. Mas, a verdade é bem diferente! Pessoas emocionalmente inteligente têm as mesmas emoções que todos, porém, conseguem identificá-las e dar a elas o peso que merecem.

São muitas as situações no dia a dia que podem nos levar ao descontrole emocional, especialmente, no trabalho. Afinal, com a família e os amigos, você está lidando com pessoas com quem tem afinidades óbvias, mas no mercado de trabalho nem sempre isso acontece e, muitas vezes, um ou outro colega parece querer testar a paciência dos demais. É justamente nessas ocasiões que a inteligência emocional se mostra imprescindível para quem deseja ser um profissional diferenciado.

Em 2016, o Fórum Econômico Mundial publicou um relatório onde previa quais habilidades se tornariam indispensáveis para o mercado de trabalho até 2020. Em sexto lugar, lá estava ela: a inteligência emocional. O interessante é que até o ano anterior ao estudo, 2015, essa competência não era, nem ao menos, citada. O que, então, aconteceu de tão drástico para esse súbito interesse na gestão das emoções?

Neste artigo, vamos responder esta pergunta e também aquela que trouxe você até aqui: por que você precisa de inteligência emocional? Acompanhe.

Por que a inteligência emocional se tornou tão importante?

Ter uma boa gestão das emoções traz mais facilidade para lidar com as mais diversas situações. Mas, no contexto do mercado de trabalho, essa habilidade é novidade entre os requisitos para conquistar uma vaga ou uma promoção. Para entendermos melhor essa mudança, precisamos analisar o contexto corporativo em que estamos inseridos.

Atualmente, o mercado vive uma nova Revolução Industrial. Chamada de Indústria 4.0, essa nova revolução tem o objetivo de automatizar processos e levar cada vez mais a inteligência artificial para as empresas. Uso de big data, robôs e softwares para análise de dados são cada vez mais difundidos. Com isso, alguns postos de trabalho, em especial, os mais envolvidos com atividades manuais, sentirão o impacto dessa modernização.

Entretanto, ainda estamos longe da completa inteligência das máquinas. Isso faz com que as habilidades humanas, como criatividade, socialização e empatia se tornem cada vez mais procuradas pelas empresas. Conseguir lidar com um cenário em constante transformação, mais competitivo e diversificado tem sido um diferencial importante para quem pretende se destacar.

Mas, não é apenas para ser um profissional disputado que você precisa da inteligência emocional. Continue lendo e entenda alguns outros motivos que a tornam indispensável nos dias de hoje.

Por que você precisa de inteligência emocional?

Ter ciência e controle das emoções não traz benefícios apenas no ambiente de trabalho, mas ajuda você a encarar a vida e os percalços de modo mais leve. Conheça alguns dos motivos que tornam a inteligência emocional uma necessidade.

Para saber onde direcionar sua energia

Todos temos problemas. Isso é inerente ao ser humano: nem tudo, sempre, sairá como você espera. E a frustração pode ser um sentimento capaz de minar o bom humor de muita gente pelo resto do dia.

Quando se sabe identificar e gerir as emoções, é possível dimensionar os problemas com exatidão. Um pequeno problema se mantém pequeno; um grande, ganha atenção para sua resolução. Racionalizar sobre aquilo que incomoda ajuda a resolver questões de um jeito mais prático e assertivo.

Banner E-book Dale Carnegie - Relações Interpessoais

Para separar a vida profissional da pessoal

Eis aqui mais um ponto bastante comum: os problemas do trabalho vão para a casa e vice-versa. Antes que você se culpe por não separar os dois setores da vida, saiba que isso é natural, afinal, a mesma pessoa que vai ao trabalho é aquela que interage com família e amigos. Portanto, não existe um botão que liga o modo profissional e desliga o pessoal.

Porém, isso não deve ser encarado como um aval para descontar os problemas de casa nos colegas! Pessoas com inteligência emocional desenvolvida são capazes de diferenciar os dois ambientes, quase que os separando em compartimentos hermeticamente fechados.

Para ter um melhor desempenho no trabalho

Um levantamento da empresa de consultoria empresarial TalentSmart revelou que 58% do desempenho profissional está ligado à inteligência emocional. Manter a calma em situações de estresse e lidar com crises e problemas é, para muitos profissionais de recrutamento, tão ou mais importante que a capacidade técnica.

E os resultados vão além: constatou-se que os profissionais com melhor pontuação no quesito inteligência emocional são os que ganham melhor. Mais especificamente, para cada ponto conquistado nesse quesito, US$1.300 a mais em um salário anual.

Para lidar melhor com as crises

Existem problemas que estão fora do nosso controle, como no caso de uma grande crise na economia. Mesmo nesses cenários, a inteligência emocional é essencial. Na verdade, talvez esse seja o momento em que mais se precisa dela! De acordo com o economista espanhol e professor da IESE Business School, José Ramón Pin, essa é uma habilidade que faz com que os profissionais passem pelos momentos de conflito com serenidade, sem se deixar abater.

“Toda crise é brutal, machuca. São imensos os desafios sob o ponto de vista emocional. Você precisa ter muita resiliência, aquele conceito emprestado da Física que mede a capacidade de recuperação de um material após uma deformação. Na crise, depois de cada golpe, é preciso recuperar as suas forças, seus sonhos”, comenta Pin.

A crise, no entanto, pode se apresentar de várias maneiras: um projeto reprovado, um desentendimento com o superior ou um conflito com um colega. Quem tem inteligência emocional tem a resiliência necessária para entender que, independente das dificuldades, todas as situações são passageiras.

Assim como as várias facetas da inteligência humana, a emocional também pode ser desenvolvida e aprimorada. Diversos profissionais recorrem a cursos e treinamentos que ajudam a identificar e gerir as emoções com racionalidade. Essa é uma atitude que também diferencia qualquer profissional: manter-se atualizado e buscar o domínio de habilidades que, até então, eram desconhecidas. Especialmente, em tempos tão transformadores quanto o que vivemos.

Quer conhecer melhor as opções de capacitações que exploram o desenvolvimento da inteligência emocional? Envie uma mensagem para nós.

Banner E-book Dale Carnegie - Relações Interpessoais